quarta-feira, 30 de maio de 2007

PENA CAPITAL (MINICONTO)

(CONTOS ENCONTROS ENCANTOS - TEMA: HIPOCRISIA)

Defendia a pena de morte exaustivamente, não apenas para crimes hediondos, mas para todo tipo de crime. Crime é Crime. Como não defendê-la se a criminalidade crescia a passos largos e era perigoso ir à padaria? Como não defendê-la se crianças eram mortas como se fossem cães sarnentos? Como não defendê-la se os cidadãos honestos, trabalhadores, viviam à mercê de vagabundos que, além de levar o que era ganho graças ao suor, espancavam, matavam?

Finalmente, a pena de morte, a pena capital, foi instituída no país. Rejubilou-se de alegria.

Algum tempo depois, seu filho foi preso, acusado de participação num seqüestro. Crime hediondo. Foi julgado e condenado à pena capital. Perguntaram-lhe o que achava da condenação de seu filho. Desolado, respondeu:

"A pena de morte é a maior crueldade que existe. Um ato desumano. Um ato bestial."

(Arte: "O Grito", de Edvard Munch)

(Elson Teixeira Cardoso)

Um comentário:

Silvio Vasconcellos disse...

Pimenta nos teus olhos...